A actualidade noticiosa

Consulta as principais notícias do Ensino Superior

9 de Outubro de 2019.

Europe of my grandchildren

In the time when Europe faces many challenges it is important to ask ourselves: what can I do to support EU and projects which it fulfils.  The most important thing which we must realize is that our action can make a difference! How do I understand that, and what can be our contribution in the development of European Projects, you can find out reading this article.  Firstly, taking the opportunity to vote in European Elections, as this is the only one occasion for the nearest 5 years for citizens of Europe to have an influence on shape of European Parliament as it is the only institution among the EU which is chosen through elections in EU countries. This institution approves […]
8 de Outubro de 2019.

Prémio Nobel da Física 2019

O prémio foi para as descobertas sobre o velhinho cosmos e os novos exoplanetas fora do nosso sistema solar. Vencedores anunciados esta terça-feira de manhã, em Estocolmo, na Suécia. O Prémio Nobel da Física de 2019 vai para James Peebles “por descobertas teóricas em cosmologia física” e a outra metade em conjunto com Michel Mayor e Didier Queloz “pela descoberta de um exoplaneta orbitando uma estrela do tipo solar”, anunciou esta terça-feira de manhã a Real Academia Sueca das Ciências em Estocolmo. O prémio, no valor monetário de nove milhões de coroas suecas, ou 866 mil euros, será dividido em duas partes. No anúncio, o comité resumiu que quis distinguir as investigações que contribuíram para a compreensão da evolução do […]
7 de Outubro de 2019.

Europe’s impact

A lot is happening in the world right now that can make or break our future and the future of generations yet to come: climate change, wars, natural disasters, overpopulation, starvation. None of these issues can be made undone but we can strive to solve them before they get worse and worse. The European Union plays a big part in this and in shaping the future for not only Europe and its citizens but also the rest of the world. The European Parliament makes a lot of important decisions about issues like the ones listed earlier. To some it may seem like they have no influence on these issues as an individual but that is not true at all. One […]
6 de Outubro de 2019.

EUA financia investigadora do i3S

A investigadora Salomé Pinho, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto, vai analisar os dados de 600 militares e procurar biomarcadores para a doença de Crohn e para a colite ulcerosa. Aproveitando o rigoroso acompanhamento que é feito aos militares norte-americanos, a equipa de investigadores liderada pela portuguesa Salomé Pinho vai estudar o desenvolvimento da doença inflamatória intestinal (DII). A cientista do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (I3S) da Universidade do Porto conseguiu um apoio de um milhão de euros do Departamento de Defesa dos EUA e vai procurar nos dados recolhidos nos seis anos anteriores ao diagnóstico da doença os primeiros sinais do problema em indivíduos (todos militares da Marinha) que […]
5 de Outubro de 2019.

My grandchildren’s Europe

The question we are going to ask ourselves today is: how can we contribute to create a bright European future for our grandchildren? In order to answer that question we have to look at the current state of affairs. Every generation has historically dealt with its own challenges. In a couple thousand years we’ve moved from hunting-and gathering tribes to a high functioning society with all kinds of ingenious systems (i.e. agriculture) which supports our lifestyle. Especially in the last couple of centuries our species made enormous leaps in all kinds of fields, in a staggering and accelerating pace. Thanks to technology we’re more globally connected than ever. We’ve gained so many insights and knowledge. But, all that will just […]
4 de Outubro de 2019.

Já é possível nomear um exoplaneta

Em Portugal, poderá atribuir-se um nome ao planeta extra-solar HD 45652b, um gigante gasoso a 117 anos-luz de nós. A partir desta terça-feira, tem a oportunidade de sugerir um nome para um exoplaneta. Para comemorar o seu 100.º aniversário, a União Astronómica Internacional (IAU, na sigla em inglês) organizou a iniciativa IAU100 Name ExoWorlds (Dê Nome a ExoMundos, em português), em que mais de 70 países terão a possibilidade de dar um nome a um exoplaneta e à sua estrela. Em Portugal, será possível propor nomes até 28 de Outubro no site da iniciativa. Como a IAU é a entidade responsável por atribuir nomes e designações oficiais a corpos celestes, quis incentivar a comunidade internacional a nomear também outros mundos. […]
3 de Outubro de 2019.

A Europe for my grandchildren

When I read about the topic for this month’s article, at first I was a bit overwhelmed. What can I as a single person contribute to the European Union? How can I help to preserve the values of this uniting project?  And then, after second thoughts, I realized: yes, even my young generation can do a lot to guarantee that there will also be a Europe for our grandchildren. Let’s start with something that is going to happen this month – the European elections. On the 26th of May we have the chance to vote for the European Parliament and indirectly for our all future. Each one of us can decide which party he or she wants to support with […]
2 de Outubro de 2019.

Evolução fez desaparecer músculos

Uma equipa liderada por um cientista português observou, pela primeira vez, estruturas que se começam a desenvolver nos embriões e fetos humanos, mas que desaparecem antes do nosso nascimento. Através de uma técnica de imagens a três dimensões, uma equipa de cientistas dos Estados Unidos e de França espreitou ao pormenor a anatomia de embriões e fetos humanos. Assim, o grupo liderado pelo biólogo português Rui Diogo conseguiu observar músculos que se formam durante o início do nosso desenvolvimento, mas que se perdem antes de nascermos. Essas estruturas desapareceram durante a evolução (na transição dos répteis mamalianos para os mamíferos) há mais de 250 milhões de anos e ainda são visíveis em alguns animais. O trabalho foi publicado esta terça-feira […]
1 de Outubro de 2019.

The European project in the future

The future of the European Project depends on our acts now. As a young European citizen who has already participated in projects provided by the European Union, I know that the best way to support the European Project growth is taking part in diversified programmes such as studying abroad, voluntary service or any kinds of internships. These experiences give a new perspective for the future of young people. Mobility does not pose any difficulties anymore because it is a part of the projects mentioned above. Moreover, we are eager to apply for jobs abroad, to travel and stay in touch with all the people we have  met along our way. All the connections between the people and the sense of […]
30 de Setembro de 2019.

Estudantes luso-descendentes

Em 2019, 416 emigrantes e luso-descendentes ficaram colocados na primeira fase de acesso ao ensino superior. O secretário Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior frisa que Portugal “está de braços abertos” para os acolher. O número de luso-descendentes candidatos ao ensino superior em Portugal aumentou 150% em quatro anos, com 2019 a ser o mais concorrido da última década, segundo dados oficiais do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Portugal tem um contingente reservado a filhos de emigrantes de 7% do total das vagas nacionais no acesso ao ensino superior, o que corresponde a cerca de 3500 vagas. Na primeira fase do concurso de 2019, 483 emigrantes e luso-descendentes candidataram-se a instituições de ensino superior portuguesas, tendo ficado […]
22 de Outubro de 2018.

Janela para neurónios humanos

Investigadora portuguesa faz parte da equipa de cientistas que desenvolveu um novo modelo animal para o estudo de doenças do neurodesenvolvimento. A primeira experiência já deu pistas sobre a actividade neuronal nos casos de síndrome de Down. Através de uma “janela” de vidro aberta no crânio de ratinhos, uma equipa de cientistas conseguiu observar o desenvolvimento de neurónios humanos obtidos a partir de células estaminais. O novo modelo de estudo in vivo poderá ser útil para a investigação de várias doenças do neurodesenvolvimento. Na primeira experiência foram comparadas células de indivíduos saudáveis e com síndrome de Down e observados padrões de actividade distintos que podem ajudar a perceber melhor esta anomalia genética. O artigo foi publicado na revista Science e […]
15 de Outubro de 2018.

Duas forças acolhem novas memórias

Equipa de cientistas da Fundação Champalimaud encontrou a colaboração de dois mecanismos que actuam nos neurónios e que permite que o cérebro seja capaz de codificar nova informação e, ao mesmo tempo, mantenha uma actividade estável. Já alguma vez sentiu que não conseguia guardar mais informação nova no cérebro? Há mesmo quem se refira a essa situação usando uma analogia quando afirma que não tem mais espaço no disco rígido. Na verdade, se tudo estiver bem, o espaço no nosso disco rígido (a que a biologia chama cérebro) vai-se moldando às nossas necessidades graças a alguns processos neuronais conhecidos. E a plasticidade cerebral ao nível das sinapses desempenha aqui um papel central. Uma equipa de cientistas da Fundação Champalimaud investigou […]
8 de Outubro de 2018.

Limitar aquecimento global em 1,5ºC

É preciso adoptar “medidas sem precedentes” para que a temperatura global não ultrapasse os 1,5 graus Celsius. Portugal pode ser um bom exemplo, diz associação ambientalista Zero Nos próximos anos, o aumento da temperatura global vai levar à subida do nível da água do mar, ao aumento dos fenómenos climáticos extremos em número e em intensidade, à destruição de alguns ecossistemas, a perdas na produção de alimentos e por aí em diante. Tudo isto são certezas quase absolutas para a comunidade científica. Mas há uma forma de, pelo menos, atenuar estas alterações: limitando o aumento da temperatura global a 1,5 graus Celsius em relação aos valores pré-industriais. E, apesar de exigir um esforço significativo, ainda é possível fazê-lo, diz o último […]
1 de Outubro de 2018.

Nobel da Medicina

James P. Allison e Tasuku Honjo descobriram novas formas de bloquear os travões do nosso sistema imunitário que se revelaram muito eficazes no tratamento do cancro. “Um novo paradigma na luta contra o cancro”, considerou o comité do Nobel. O Prémio Nobel da Medicina ou Fisiologia de 2018 foi atribuído aos investigadores James P. Allison e Tasuku Honjo pelas descobertas relacionadas com o papel do sistema imunitário na luta contra o cancro, anunciou esta segunda-feira o comité do Nobel no Instituto Karolinska, em Estocolmo (Suécia). O prémio tem um valor de nove milhões de coroas suecas (cerca de 871 mil euros). “O Prémio Nobel deste ano assinala um marco na luta contra o cancro”, anunciou o comité do Nobel esta […]
17 de Setembro de 2018.

Perigo, fugir ou paralisar?

Uma equipa de investigadores da Champalimaud descobriu que há um par de neurónios que está envolvido na decisão da melhor estratégia a adoptar perante uma ameaça. O objectivo será sempre o mesmo: sobreviver, safarmo-nos com o mínimo prejuízo. Assim, face a uma ameaça é preciso avaliar o risco e tomar uma decisão sobre a melhor maneira de reagir. Uma nova investigação de uma equipa de cientistas do Centro Champalimaud, em Lisboa, publicada esta quarta-feira na Nature Communications, revelou que a escolha entre fugir ou paralisar pode depender da nossa posição no momento em que o perigo aparece. No estudo realizado com moscas-da-fruta foram também identificados dois neurónios com um papel importante na execução da melhor estratégia defensiva a adoptar. O […]
3 de Setembro de 2018.

Gene protege os elefantes do cancro

Como conseguem os elefantes ser resistentes ao cancro? É através de um gene que nos elefantes está presente em várias cópias e, descobriu-se agora, de um outro que se pensava que estava desactivado. Olhamos para os elefantes e vemos animais imponentes. E este texto é mesmo sobre a sua imponência, neste caso, contra o cancro. Estima-se que 17% dos humanos morram de cancro, enquanto nos elefantes em cativeiro a percentagem é de menos de 5% (embora tenham cerca de 100 vezes mais células potencialmente cancerosas do que nós). Porquê? Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos deu agora parte da resposta ao descobrir no ADN dos elefantes um gene zombie, que estava desligado, que os ajuda a defender do cancro. […]