A «Evolução» em debate no Porto
20 de Janeiro de 2017.
Autonomia em debate
24 de Janeiro de 2017.
Mostrar Tudo

MIT Portugal abre candidaturas

Um total de 18 projetos de investigação exploratória vão ser apoiados pelo Programa MIT Portugal. As candidaturas estão abertas até 8 de março.

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts encontra-se a recrutar no nosso país. O Programa MIT Portugal abriu a fase de candidaturas para a apresentação de projetos de investigação exploratória, iniciativa apoiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

O concurso prevê o apoio a dezoito projetos exploratórios, que devem ser apresentados por instituições de investigação portuguesas, com a duração máxima de um ano e um orçamento total disponível de 1 milhão e 800 mil euros. O prazo para submissão de candidaturas é 8 de março de 2017.

As áreas científicas contempladas no concurso são: investigação integrada baseada no contexto do centro Azores International Research Center (AIR), Sustentabilidade e gestão de dados em sistemas urbanos, novos conceitos industriais e fábricas inteligentes, dispositivos biológicos médicos e sistemas de transportes sustentáveis.

O diretor nacional do Programa, Pedro Arezes, salienta que a seleção das áreas resultou «de uma análise do potencial de desenvolvimento das mesmas por parte dos parceiros nacionais em estreita colaboração com o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e de uma tentativa de dar resposta a alguns dos mais recentes desafios de desenvolvimento da investigação e ciência em Portugal».

Ao longo de 10 anos o MIT Portugal já apoiou um total de 20 projetos de investigação durante a primeira fase do programa e um 3 projetos de larga escala. Esta fase de candidaturas arranca no ano em que o Programa MIT Portugal entra na reta final da sua 2ª fase, que se iniciou em 2013 e termina no fim de 2017.

Pedro Arezes confessa que «um dos objetivos do concurso passa por identificar áreas de investigação que possam vir a ser integradas numa potencial 3ª fase do Programa, a qual está desde já a ser desenhada para incluir novas áreas científicas e iniciativas de internacionalização da investigação mais criativas e inovadoras».

Notícia do Canal Superior de 19/01/2017.