Central solar no espaço
13 de Maio de 2022.
Mostrar Tudo

Papel que dura como o plástico

Equipa da Universidade de Tóquio descobriu como aplicar um revestimento à base de sílica em papel, tornando-a impermeável, antibacteriana e resistente como o plástico, mas sem a parte da poluição

O estudo dos cientistas da Universidade de Tóquio foi publicado no Industrial & Engineering Chemistry Research e descreve como os investigadores usaram um revestimento de sílica para tornar itens de papel mais resistentes, impermeáveis e resistentes a bactérias. Ideia é aplicar este revestimento a utensílios como palhinhas, tornando-as alternativas equiparadas às de plástico, com a grande vantagem de não serem tão poluentes como aquelas.

O revestimento, a que equipa chama Choetsu, pode ser aplicado a outros materiais: “podemos alterar a composição líquida para acomodar a maior parte dos materiais. O revestimento Choetsu vai manter estes materiais saudáveis durante mais tempo”, explica o doutor Zenji Hiroi, co-autor do estudo ao Motherboard.

A cobertura em sílica é feita de nanopartículas de dióxido de titânio que são dispersas sobre uma película de sílica com poucos micrómetros de espessura e que depois é aplicada sobre o papel, conferindo-lhe maior durabilidade e resistência antibacteriana. Os materiais originais usados, uma mistura de vários outros químicos, foram selecionados pela professora Yoko Iwamiya, que já trabalhava independentemente neste projeto antes de começar a cooperar com a Universidade de Tóquio.

O revestimento é poroso e tem propriedades absorventes, fazendo com que estes artigos possam ser usados para combater a poluição também, capturando os agentes poluentes e decompondo-os através do processo fotocatálise.

“Os utensílios de papel são a aplicação mais imediata (…) qualquer produto em papel vai ganhar mais aplicabilidade”, explica Hiroi, revelando ainda outros cenários de utilização: “assim que os ingredientes líquidos do revestimento forem determinados, basta aplicar sobre outros materiais e deixar secar. Porque o processo é tão simples, pode ser aplicado a uma gama alargada de produtos”.

Clique aqui para ler a notícia da Exame Informática de 16/05/2022.