Tesla Model Y com processador AMD
29 de Novembro de 2021.
Par de buracos negros mais próximo
1 de Dezembro de 2021.
Mostrar Tudo

Eclipse total deste ano está perto!

Para os amantes da astronomia, o acontecimento de um eclipse solar total é um dos fenômenos mais aguardados. Em 2021, isto deve acontecer no dia 04 de dezembro. Saiba onde o eclipse será visto.

O ano de 2021 foi marcado por diversos fenômenos astronômicos, entre eles três eclipses, dois da Lua, um total e um parcial que aconteceu recentemente, e o terceiro foi um eclipse solar anular.

Apesar da beleza dos fenômenos que já foram registrados ao longo deste ano, um eclipse solar total é, sem dúvida, um dos mais aguardados pelos amantes da astronomia e um dos mais raros também. Para a felicidade de muitos, a espera pelo próximo eclipse está bem perto de acabar.

No dia 4 de dezembro, espera-se a ocorrência de um eclipse total do Sol, mas será que o fenômeno será observado por todos nós? O que se sabe é que o fenômeno será atípico e a região mais favorecida para sua observação será a Antártica.

Onde o eclipse será melhor observado?

O fenômeno mais aguardado de 2021 já tem data marcada para acontecer e uma melhor área para visualização também, a premiada será a Antártica. Pois é, um lugar exótico e com infinitas belezas, mas que ao mesmo tempo, também não é um dos lugares mais habitados do mundo.

Este tipo de eclipse solar é um dos mais raros de acontecer, o Sol chegar a ser totalmente encoberto. Apesar disso, o próximo fenômeno promete ser totalmente visível, mas isso deve acontecer em um ponto bastante específico do planeta: a região do Mar de Weddell, na Antártica.

O eclipse solar parcial deve começar às 05h29 UTC (02h29 AM no Brasil). Já o eclipse total deve ter início às 07h UTC, sendo que o ápice deve acontecer as 07h34 UTC (04h34 AM no Brasil). Vale ressaltar que a totalidade do eclipse do Sol durará apenas 1 minuto e 54 segundos, o que vai acontecer na orla do continente Antártico, ao norte da plataforma de Gelo Filchner-Ronne.

Áreas para observação

O eclipse solar total será avistado na Antártica, mas também em alguns pontos dos oceanos Atlântico, Pacífico e Antártico. Sim, áreas mais inóspitas do planeta e não muito facilitadoras para visualização da maior parte da humanidade.

No Brasil, o eclipse solar não será observado para a infelicidade dos estudiosos e amantes do céu. Aliás, o último que pôde ser observado no país foi há 27 anos. O próximo eclipse solar total que será visto no Brasil deve acontecer em 2046, segundo o calendário astronômico.
Apesar disso, ainda há esperança de observação do fenômeno em outras partes do mundo, mesmo que de forma parcial e por apenas alguns minutos. Isso deve acontecer em uma pequena parte no leste da Argentina, no sul do Chile, nas Ilhas Malvinas, pequenas áreas da Austrália, da Nova Zelândia, da África do Sul e da Namíbia.

Eclipse solar total será pouco observado

Um dos obstáculos de observação desses fenômenos é a condição do tempo. Na Antártica, sabe-se que o clima é bastante adverso, com baixíssimas temperaturas, ventos fortes e uma paisagem totalmente congelada, além de isolada claro.

Dias de céu claro não são muitos frequentes nessa região tão inóspita do planeta, o que é justamente o mais importante para a visualização do fenômeno.

Além das condições do tempo, nesta época do ano não é muito indicado à visitação neste lugar, ou seja, para quem pretende ir até a região por conta do eclipse, não é a época do ano ideal, isso porque, no início de dezembro, a quantidade de gelo marinho presente ainda é importante, sendo uma época considerada precoce para visitação.

Formas nada baratas de ver o eclipse

Existem maneiras de contornar a dificuldade de visualização do próximo eclipse solar total, mas não devem sair nada baratas.

A opção mais viável é através de um voo especial desde a calota polar de Borne. No caso da presença de nebulosidade, os planos de visualização dos entusiastas não seriam comprometidos. Entretanto, pegar um desses voos exclusivos para o eclipse custará entre 10 mil e 28 mil euros.

Clique aqui para ler a notícia do Tempo.com de 27/11/2021.