How to be a Storyteller in Madeira
31 de Outubro de 2021.
Mares Circulares na Madeira
7 de Novembro de 2021.
Mostrar Tudo

Lanchar com… Camilo Castelo Branco!

“Este livro pretende ser uma maneira leve de dizer muitas coisas sobre Camilo Castelo Branco.”
José Viale Moutinho

Já à venda na GAUDEAMUS.pt, na Wook, na Fnac, na Bertrand e nas principais livrarias do país.

A IMPRENSA ACADÉMICA apresenta o novo livro de José Viale Moutinho, A MÁQUINA DO TEMPO DO PROFESSOR CANDEIAS. Este romance infantojuvenil, ilustrado por Sofia Freitas, levará todos os leitores a conhecer Camilo Castelo Branco e a sua família.

A MÁQUINA DO TEMPO DO PROFESSOR CANDEIAS de José Viale Moutinho

José Viale Moutinho criou uma obra inédita, publicada pela IMPRENSA ACADÉMICA, que permitirá aos jovens conhecer a personalidade Camilo Castelo Branco que marcou a literatura e a sociedade portuguesas da sua época.

Trata-se de uma narrativa maravilhosa em que a dedicação do autor ao estudo da vida e da obra de Camilo, se cruza com uma das vertentes em Viale Moutinho é uma referência na literatura portuguesa contemporânea, a literatura infantojuvenil.

A narrativa leva-nos a um colégio português, onde o professor Candeias, de ciências, constrói uma máquina do tempo e convida o colega Nascimento, o professor de línguas, a fazer uma viagem ao passado.

Sem perder tempo, o professor Nascimento programa o aparelho para o ano de 1885, para a pacata aldeia de São Miguel de Seide, em Famalicão.
O seu desejo é conhecer o seu ídolo, Camilo Castelo Branco.

Divertido e amável, com uma vida cheia de peripécias, o carismático mestre Camilo simpatiza logo com o professor Nascimento e convida-o para sua casa.
Nas suas viagens a Seide de 1885, Nascimento conhece o escritor Alberto Pimentel e outros amigos e vizinhos de Camilo, além da mulher, a escritora Ana Plácido, do filho Jorge e até do cão.

Ler este livro não é só ouvir as histórias narradas por Camilo Castelo Branco, como será mesmo conversar com o mestre, através do professor Nascimento.
Viale Moutinho construiu a narrativa de forma que a maioria das falas de Camilo “correspondem a textos da sua autoria.”

“Isto quer dizer que quando ele […] fala mesmo!” refere o autor, na nota que inicia o livro.

A MÁQUINA DO TEMPO DO PROFESSOR CANDEIAS, como livro infantojuvenil que é, é dotado de imagens das personagens, dos cenários e dos eventos narrados por Viale Moutinho, sejam ficção, sejam reais.

As imagens são ilustrações de Sofia Reis, um dos novos talentos formados pela Universidade da Madeira que, através da ACADÉMICA DA MADEIRA, tem dado forma a histórias de vários autores.

As figuras ilustradas por Sofia Reis são dotadas de expressões que apelam à empatia do leitor, sejam elas figuras imaginadas por Viale Moutinho, a personalidades históricas, como o próprio Camilo Castelo Branco.

No final, o leitor de qualquer idade pode ir visitar Camilo e a sua família à sua casa de Seide. Basta apanhar boleia de José Viale Moutinho, n’MÁQUINA DO TEMPO DO PROFESSOR CANDEIAS.

CAMILO CASTELO BRANCO

Nasceu em 1825, em Lisboa, e faleceu em 1890, em S. Miguel de Seide, em Famalicão.

Frequentou o curso de medicina, porém foi na escrita que encontraria a vocação e o sucesso, começando a atividade, por volta de 1845, e, em 1851, publicou o seu primeiro romance, Anátema.

Por amor a Ana Plácido, é processado por adultério pelo marido desta e acabam ambos presos na cadeia da Relação do Porto, em 1860. D. Pedro V veio a absolvê-los e, nos anos seguintes, publicou mais de uma dezena de novelas e romances, muitos populares entre o público.

Vivendo da sua pena, Camilo Castelo Branco o primeiro escritor profissional no nosso país, conjugando o seu génio a criar enredos com a sua capacidade de observar e de comentar a sociedade do seu tempo.

É considerado uma figura e proa do romantismo português, assinando Amor de Perdição, Amor de Salvação, A Queda dum Anjo, O Retrato de Ricardina, A Brasileira de Prazins e outras obras maiores da literatura portuguesa.

Tinha 65 anos quando a tristeza causada pela cegueira que o impedia de escrever o imortalizou, a 1 de junho de 1890.

SOBRE O AUTOR

JOSÉ VIALE MOUTINHO nasceu no Funchal, em 1945. Jornalista, poeta e escritor com tem várias obras editadas, muitas delas em diversas línguas.
Com obras em diferentes estilos literários, enquanto contista é autor de cerca de meia centena de livros para crianças, bem como de coletâneas contos populares e de lendas.
Enquanto investigador, realizou, de entre outras temáticas, estudos sobre a vida e a obra de Camilo Castelo Branco, tendo publicado já vários livros sobre esta figura maior da literatura portuguesa.

Entre outros, já recebeu o Prémio Edmundo de Bettencourt de Conto e de Poesia, os Prémios de Reportagem Kopke, Norberto Lopes/Casa da Imprensa de Lisboa e El Adelanto (Salamanca); o Pedrón de Honra (Santiago de Compostela).

Em 2019, a Associação Portuguesa de Escritores atribuiu-lhe o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco, pela obra Monstruosidades do Tempo do Infortúnio, por decisão unânime do júri.

José Viale Moutinho já tem publicadas as obras Contos Populares e Lendas das Ilhas da Madeira e do Porto Santo, pela CADMUS, e A Ilha das Quatro Estações, pela IMPRENSA ACADÉMICA, perspetivando-se outros novos trabalhos com essas chancelas editoriais da ACADÉMICA DA MADEIRA.

SOBRE A ILUSTRADORA

SOFIA REIS nasceu no Funchal, em 1995, e é licenciada em Artes Visuais pela Universidade da Madeira.
Participou em várias fazines e livros internacionais relacionados com música e é autora de ilustrações de diversos livros infantis.

Exemplos de ilustrações suas podem ser encontradas no Instagram@imbelling ou na página de Facebook ‘Sofia Reis Arts’.

SOBRE A EDITORA

A primeira imprensa universitária nasceu em Coimbra, no séc. XVI, durante o reinado de D. João III.
A IMPRENSA ACADÉMICA é uma editora universitária criada, em 2014, pela ACADÉMICA DA MADEIRA, que é a sua proprietária e gestora.

Premiada, em 2019, com o galardão Boas Práticas do Associativismo Estudantil, pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, a equipa editorial da IMPRENSA ACADÉMICA é composta por estudantes e por antigos estudantes da Universidade da Madeira (UMa).

Profissionais, titulares do grau de licenciado ou do grau de mestre, dão formação e trabalham em conjunto com vários estudantes, investigadores e docentes.

A atividade da IMPRENSA ACADÉMICA nasce do trabalho de um corpo de voluntários que integra todo o processo editorial, de comunicação e comercial, de forma a permitir a consciencialização do público sobre a importância da leitura enquanto competência fundamental para potencializar conhecimento e inclusão.

Criar leitores constitui o principal desafio assumido pela equipa de voluntários que promove conhecimento e, simultaneamente, o adquire.

Cientes de que criar leitores é uma tarefa árdua acreditamos que é fulcral para perpetuar um percurso escolar e académico de sucesso dos nossos jovens, para a criação de massa crítica e para a existência de uma sociedade aberta e inclusiva.

Este projeto assume uma forte investigação na área cultural e educacional, através da publicação de obras desenvolvidas por autores madeirenses e, concomitantemente, integrar estudantes e antigos estudantes nos vários processos inerentes à publicação de uma obra, como a seleção de conteúdos, a transcrição, a adaptação de textos, a idealização, a revisão ou a promoção, possibilitando a aquisição de experiência e competências úteis para a sua integração futura no mercado de trabalho.