Mostrar Tudo

Princesas em busca dos seus sonhos!

MURAL DA HISTÓRIA de Carolina Caldeira e Raquel Marques

…as histórias não têm um momento ideal para serem contadas, ouvidas ou pintadas, sabiam?

Carolina Caldeira

MURAL DA HISTÓRIA será apresentado amanhã, Dia Mundial da Criança, no parque de Santa Catarina, no Funchal, a partir das 10:00.

 

Sobre a obra

MURAL DA HISTÓRIA, mais do que um livro de histórias de princesas, é um projeto que conjuga a literatura, as artes visuais, a psicologia e a didática.

A obra permite aos mais pequenos escutar e aprender com a narrativa, maravilhar-se com as ilustrações e expressar-se nas suas páginas, desenhando e pintando no livro, conforme os seus sentimentos e as suas aprendizagens. 

Carolina Caldeira e Raquel Marques revisitaram alguns contos tradicionais da Infância e abordaram-nos de uma forma totalmente diferente, à luz dos tempos atuais. 

As protagonistas destas histórias são personagens femininas conhecidas de gerações e gerações de crianças, mas agora são raparigas com objetivos de vida próprios e que lutam para consegui-los.

O trabalho das jovens autoras na adaptação de alguns contos tradicionais é mais um capítulo na longa história deste género literário.

Muitas das histórias de princesas têm as suas primeiras versões registadas na Antiguidade Pré-Clássica, no Egito, na Mesopotâmia, ou na China, por exemplo. Algumas provêm de correntes religiosas mais tardias, como a mitologia greco-romana ou a tradição judaico-cristã.

Na Idade Média, algumas narrativas misturaram-se com a cultura popular, sendo resgatadas e adaptadas, a partir da Renascença, por autores que as registaram em seu nome, como o fizeram Charles Perrault,  Jacob e Wilhelm Grimm, Hans Christian Andersen ou Francisco Adolfo Coelho. 

A pena destes contadores de histórias suavizou muito as histórias tradicionais, reduzindo-se a carga de violência e de tenebridade dos séculos anteriores e reconstruíram-lhes a moralidade, ao gosto das classes dominantes das suas épocas.

Nem todos estes escritores escreveram para crianças, de facto, porém é inquestionável que as suas versões tinham um maior propósito lúdico do que até então existira. 

A evolução dos contos infantis tradicionais, não estagnou no século XIX. Atualmente, há versões já bem diferentes, que até extravasam o habitual suporte de papel.

Os heróis foram substituídos por anti-heróis, menos bonitos mas mais divertidos. Passou-se a respeitar o ponto de vista dos chamados vilões. As lições de moral deixam de pender do preto para o branco, para caírem em todo um espetro de cores. 

Na comunidade das personagens há, atualmente, diversidade onde antes havia homogeneidade.

Numa época em que a luta pela igualdade de género é uma guerra travada dia a dia, nas nossas comunidades, MURAL DA HISTÓRIA constitui uma grande vitória para a gente pequenita.

Ouvindo ou lendo as histórias, completando e pintando as ilustrações, aprendendo e partilhando, as crianças que usufruam deste MURAL DA HISTÓRIA, vão saber de que fibra são feitas as princesas modernas. 

 

O projeto MURAL DA HISTÓRIA nas palavras das autoras

O Mural da História começou a formar-se enquanto necessidade a partir do momento em que constatava, enquanto babysitter, que as histórias que rodeavam a criança com quem eu passava a maior parte do meu dia (em 2019) ainda estavam presas a papéis de género antiquados e que, na maioria dos casos, reservavam às personagens femininas o lugar passivo, expectante, impotente. 

Enquanto mulher, rapariga, menina, não me revejo minimamente nesse lugar, nem era o tipo de história que eu quereria passar àquela menina de 2 anos. Acredito verdadeiramente que a narrativa com que somos rodeados desde o primeiro momento da nossa vida nos acompanha ao longo do tempo, por isso, se posso fazer alguma coisa que contribua para que as princesas de amanhã não fiquem à espera que lhes escrevam a sua própria história, assim o farei.

Mural da História porque com este livro quis reescrever algumas das morais de algumas histórias infantis bem conhecidas, e porque vou explorar uma das histórias numa intervenção de arte urbana numa escola. Um mural, portanto, com a história.

Carolina Caldeira

Este projeto surgiu com o convite da Carolina Caldeira, que me pediu para que a ajudasse a dar vida às suas histórias através das minhas ilustrações. 

É um projeto com histórias que nos são familiares e que passaram de geração em geração, mas com uma abordagem moderna que tem como objetivo o empoderamento feminino. 

Pois, este tema ainda precisa de ser mais falado e trabalhado, particularmente com o público mais jovem para que se depare com o outro lado das histórias que sempre conheceu, o lado independente e feminista.

Raquel Marques

Sobre a autora

Carolina Caldeira é uma artista multidisciplinar madeirense, nascida no Funchal, em 1989. 

Licenciou-se em Ciências Psicológicas, aprendeu sobre criatividade publicitária, trabalha como redatora freelancer para diferentes marcas e empresas, mas é na produção artística que se sente mais entusiasmada. 

Criou o projeto Bathstage Music, onde combina músicos e casas de banho, e explora o diálogo entre a música e a arquitetura através de sessões gravadas ao vivo. Tem explorado a expressão artística através da poesia e da arte urbana, muitas vezes em conjunto, e vai partilhando as suas intervenções no canal de instagram @vandalismemignon.

É nas palavras que encontra o verdadeiro sentido das coisas – se é que existe – e é através delas que faz questão de ir experimentando a vida. 

Este é o seu primeiro livro, inspirado na sua experiência enquanto babysitter durante o ano de 2019.

 

Sobre a ilustradora

Raquel Marques é designer numa agência de publicidade e ilustradora nas horas vagas, nascida, em 1995, em Almada. Tirou o seu curso de design gráfico no IADE e, como quis continuar a aumentar o seu conhecimento, fez um mestrado em Design e Cultura Visual na mesma instituição de ensino.

Vive neste momento entre estas duas paixões, no entanto, sonha um dia vir a conseguir viver apenas de dar vida aos seus pensamentos através de desenhos. Ambiciona um dia conseguir adicionar a esta biografia muito mais feitos incríveis.

 

A paixão pela leitura

A ACADÉMICA DA MADEIRA criou, em outubro de 2021, a CADMUS, uma nova editora que funcionará em paralelo com a IMPRENSA ACADÉMICA, que possui uma clara matriz universitária.

A criação desta nova editora surge da necessidade de termos uma linha mais generalista, de novos autores, de livros independentes e que edita em Portugal para todo o mundo.

Entre as obras já editadas pela CADUMS, encontramos as obras infantis A BORDADEIRA e O PESCADOR de Rafaela Rodrigues, a que se junta MURAL DA HISTÓRIA de Carolina Caldeira e Raquel Marques.