Graduação dos Cursos Superiores
14 de Abril de 2021.
Sessão de Esclarecimento ERASMUS+
16 de Abril de 2021.
Mostrar Tudo

O pombo que plantava árvores…

Os segredos da floresta e outras histórias

estas são histórias sobre o respeito e o amor incondicional pela vida e pela natureza
一 Andreia Nascimento

este livro é uma desculpa para que as famílias […] procurem o contacto com a natureza
一 Hélder Spínola

Encomende em GAUDEAMUS.PT, com entrega gratuita para todo o país. Disponível em outros livreiros da região e do país.

UMA HISTÓRIA DO MAR À SERRA

Esta obra, composta por duas fábulas, reúne espécies animais nativas da Madeira, encontradas no meio da Laurissilva ou no litoral da ilha, que falam dos seus problemas e das suas preocupações.

Numa ilha da Madeira encantada onde um pombo-trocaz, um bis-bis, um morcego, uma borboleta grande-branca-da-Madeira, uma gaivota-de-patas-amarelas e uma lagartixa-da-Madeira testemunham o desenvolvimento de algumas crianças em idade pré-escolar em universitários que, voluntariamente, formam uma equipa de embaixadores do Ambiente.

Enquanto isso, todos estes seres, humanos e não humanos, lidam com problemas causados pelo desrespeito pelo meio natural e pelo desconhecimento de muitos da dinâmica dos ecossistemas insulares, em particular da Laurissilva e do litoral da ilha.

A autora, Andreia Nascimento, foi inspirada numa conversa de gente grande com uma criança que, estando afastada da Natureza devido à pandemia, foi fazendo perguntas sobre animais e plantas, dando asas à imaginação e contando histórias rudimentares que foram, entretanto, estruturadas e passadas para o papel.

Não sendo especialista em matéria ambiental e apenas pioneira em escrita infantil, Andreia Nascimento contou com a colaboração do biólogo Hélder Spínola, que assina o prefácio do livro, na vertente ecológica, e a da reconhecida autora Lígia Brazão, na vertente literária.

À equipa juntou-se um grupo de alunos da Universidade da Madeira na recolha de imagens de espécimes madeirenses que pudessem servir de base à ilustração a cargo da artista Sofia Reis.

Com respeito pelas características morfológicas das espécies nativas madeirenses, Sofia Reis deu às personagens o toque de expressividade que cria a empatia do público infantil, uma circunstância essencial ao seu processo de aprendizagem, tão dependente dos afectos e das sensações.

Sobre a Autora

Andreia Micaela Nascimento nasceu no Funchal, em 1977, e é Doutoranda em Sociologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

É licenciada em Sociologia, pela Universidade Autónoma de Lisboa, e em Comunicação, Cultura e Organizações, pela Universidade da Madeira (UMa). além de Mestre em Gestão Cultural, pela mesma universidade.

Como investigadora, é membro do grupo de investigação LIFE: Percursos de Vida, Desigualdade e Solidariedade: Práticas e Políticas. Os seus interesses de pesquisa situam-se nas áreas da Eduação e da Juventude.

É Directora de Comunicação da Académica da Madeira, onde tem coordenado programas de incentivo ao associativismo e ao voluntariado juvenil, e participado activamente nas publicações da IMPRENSA ACADÉMICA.

Sobre a Ilustradora

Sofia Reis nasceu no Funchal, em 1995, e é licenciada em Artes Visuais pela UMa.

Participou em várias fazines e livros internacionais relacionados com música e é autora de ilustrações de diversos livros infantis.

Exemplos de ilustrações suas podem ser encontradas no Instagram@imbelling ou na página de Facebook ‘Sofia Reis Arts’.

Sobre o Coordenador Científico

Hélder Spínola é Doutor em Biologia Molecular e licenciado em Biologia.

É Professor Adjunto Convidado na Escola Superior de Tecnologias e Gestão da UMa, onde lecciona nas áreas da do Ambiente e da Biologia, além de ser Director do Curso Técnico Superior Profissional em Gestão Energética e Ambiental e Coordenador do Programa Eco-Escolas.

Como membro do Centro de Investigação em Educação da UMa, foca o seu trabalho na área da Educação Ambiental, versando as suas publicações mais recentes sobre a Literacia Ambiental e a Cultura Ambiental.

Em 2003, foi eleito presidente da Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza, cargo que ocupou durante seis anos.

Sobre a Coordenadora Literária

Lígia Brazão diplomou-se na Escola do Magistério Primário do Funchal, em 1963, especializando-se em Didáctica Especial do Ensino Primário, em Expressão Dramática, com professores nacionais e estrangeiros.

Leccionou na Escola do Magistério Primário do Funchal e na UMa, nos cursos de formação inicial de Professores do 1.º Ciclo e de Educadores de Infância, e em acções de formação contínua, até 2001, ano em que se aposentou.

É autora, co-autora e coordenadora de vários programas e projectos ligados ao Ensino, de onde se destacam “O fascínio do Universo”, “Estrelinhas na TV”, “Ensino Primário em questão”, e “Fazer pensar, pensar para fazer”, tendo este dado origem a um livro do mesmo nome.

Nas artes, esteve na criação de várias peças de teatro, parte das quais reunida no livro “No Palco – Teatro para crianças”. Criou mais de meia centena de canções, tendo conquistado prémios com algumas delas em vários festivais.

É fundadora do Gabinete de Apoio à Expressão Musical e Dramática, depois Gabinete Coordenador de Educação Artística e actualmente Direcção de Serviços de Educação Artística e Multimédia, onde desempenhou funções de coordenadora regional de Expressão Artística. Ali fundou a equipa de animação para o Ensino Pré-Escolar.

Em 1991, recebeu a Pena de Prata do Governo Regional da Madeira, e, em 2005, recebeu a Medalha de Bons Serviços.

Sobre a IMPRENSA ACADÉMICA

A primeira imprensa universitária nasceu em Coimbra, no séc. XVI, durante o reinado de D. João III.

A Imprensa Académica é uma editora universitária criada em 2014 pela Associação Académica da Universidade da Madeira, que é a sua proprietária e gestora.

Premiada em 2019 com o galardão Boas Práticas do Associativismo Estudantil pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, a equipa editorial da Imprensa Académica é composta por estudantes e por antigos estudantes da Universidade da Madeira (UMa).

Profissionais, titulares do grau de licenciado ou do grau de mestre, dão formação e trabalham em conjunto com vários estudantes, investigadores e docentes.

A actividade da Imprensa Académica nasce do trabalho de um corpo de voluntários que integra todo o processo editorial, de comunicação e comercial, de forma a permitir a consciencialização do público sobre a importância da leitura enquanto competência fundamental para potencializar conhecimento e inclusão.

Criar leitores constitui o principal desafio assumido pela equipa de voluntários que promove conhecimento e, simultaneamente, o adquire. Cientes de que criar leitores é uma tarefa árdua, acreditamos que é fulcral para perpetuar um percurso escolar e académico de sucesso dos nossos jovens, para a criação de massa crítica e para a existência de uma sociedade aberta e inclusiva.

Este projecto assume uma forte investigação na área cultural e educacional, através da publicação de obras desenvolvidas por autores madeirenses e, concomitantemente, integrar estudantes e antigos estudantes nos vários processos inerentes à publicação de uma obra, como a selecção de conteúdos, a transcrição, a adaptação de textos, a idealização, a revisão ou a promoção, possibilitando a aquisição de experiência e competências úteis para a sua integração futura no mercado de trabalho.