Uma leitura de PENSAR É ESTAR…
20 de Fevereiro de 2021.
Desafios da carreira profissional
26 de Fevereiro de 2021.
Mostrar Tudo

Para uma literacia científica

Apresentada no XVI Colóquio do CIE-UMa, que evocou o educador, pedagogo e filósofo brasileiro Paulo Freire (1921-1997), a nova obra reúne o contributo de dezenas de investigadores e educadores.

O XV Colóquio CIE – UMa, em 2020, deu origem à publicação da obra LITERACIA CIENTÍFICA: ENSINO, APRENDIZAGEM E QUOTIDIANO, com a coordenação de Hélder Spínola e de Sílvia Carreira, numa edição do CIE – UMa, publicada pela IMPRENSA ACADÉMICA

O conceito de Literacia Científica evoca o conhecimento e o entendimento da ciência, nos seus conceitos e processos, proporcionando a capacidade de questionar e fazer escolhas informadas.

Fruto de trabalho de mais de 40 investigadores e educadores, o livro LITERACIA CIENTÍFICA: ENSINO, APRENDIZAGEM E QUOTIDIANO, reúne reflexões, estudos e testemunhos que se propõe evidenciar a importância da educação formal e não-formal na promoção da literacia científica.

Qual o papel de cada indivíduo face às alterações climáticas? Que soluções adotar para combater o excesso de desperdício? Como prevenir infecções e bactérias multirresistentes? Quais os princípios de funcionamento das tecnologias presentes no nosso dia-a-dia? Como distinguir crenças de factos científicos? Quais os limites da Ciência? Qual o papel do Professor na educação na Literacia Científica? São algumas das questões a que se procura dar resposta.

Uma melhor compreensão da ciência é tida como fundamental à preparação da sociedade para os desafios do séc. XXI, pois apenas nos é possível ultrapassar os desafios mais prementes, tomando decisões e fazendo escolhas informadas.

A forma e a rapidez com que a ciência e a tecnologia nos chegam hoje impõem que o processo educativo contemple uma promoção eficaz e profícua da literacia científica. Não obstante o fácil acesso à ciência, nem todos a compreendem o que torna fundamental perceber e discutir o papel da escola na forma como prepara os futuros cidadãos.

Com o financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e da ARDITI, a obra agora publicada, assume-se como um espaço de partilha e de discussão sobre a importância da educação na promoção da Literacia Científica, estabelecendo um paralelismo com as linhas de investigação: Currículo, Inovação Pedagógica e Administração Educacional.

Sobre os Coordenadores

SÍLVIA MATEUS CARREIRA é licenciada em Biologia, pela Universidade de Coimbra, Mestre em Biologia e Geologia para o Ensino, pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, e doutorada em Ciências da Educação — especialidade de Inovação Pedagógica, pela Universidade da Madeira. É professora de Biologia na Escola Secundária de Francisco Franco. Ingressou no Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira como investigadora integrada. Como área de interesse destaca-se a Educação em Ciências, tendo desenvolvido atividades formativas para docentes, realiza inúmeras comunicações e projetos em escolas dos quais se salientam atividades de ciência para todos os níveis de ensino.

HÉLDER SPÍNOLA é licenciado em Biologia, doutorado em Biologia Molecular e Professor Adjunto Convidado na Escola Superior de Tecnologias e Gestão da Universidade da Madeira, onde leciona nas áreas do Ambiente e da Biologia, sendo ainda Diretor do Curso Técnico Superior Profissional em Gestão Energética e Ambiental e Coordenador do Programa Eco-Escolas. Como membro do Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira, foca o seu trabalho na área da Educação Ambiental, versando as suas publicações mais recentes sobre Literacia Ambiental e Cultura Ambiental. Em 2003 foi eleito presidente da Direção Nacional da Quercus — Associação Nacional de Conservação da Natureza, cargo que ocupou durante seis anos.

Sobre o CIE – UMa

O Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira (CIE- UMa) foi formalmente criado em 2003 por uma resolução do Senado Universitário de 15 de julho. É uma unidade de investigação vocacionada para a investigação científica no domínio da educação e para a prestação de serviços à comunidade na divulgação e aplicação dos resultados dessa investigação. Esta é a Missão que implica os investigadores desta Unidade de I&D a refletir e a gerir criticamente no domínio das ciências sociais e em particular no campo epistemológico das ciências da educação.

O CIE – UMa exerce a sua atividade científica a partir de três linhas de investigação fundamentais: Administração Educacional, Currículo e Inovação pedagógica e de uma linha transversal sobre Etnografia da Educação. O CIE-UMa é uma das duas únicas unidades de investigação da Fundação para a Ciência e Tecnologia na UMa.

Sobre a IMPRENSA ACADÉMICA

A IMPRENSA ACADÉMICA é uma editora universitária criada em 2014 pela Académica da Madeira, que é a sua proprietária e gestora. A primeira imprensa universitária nasceu em Coimbra, no séc. XVI, durante o reinado de D. João III. Desde a sua génese, publicamos dezenas de obras em várias áreas do saber, por iniciativa da sua equipa de voluntários e colaboradores, alunos e antigos alunos, e de propostas recebidas por autores, professores, investigadores e organizações.

A actividade da IMPRENSA ACADÉMICA, que foi galardoada, em 2019, com o Prémio Boas Práticas do Associativismo Estudantil pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, nasce do trabalho de um corpo de voluntários que integra todo o processo editorial, de comunicação e comercial, de forma a permitir a consciencialização do público sobre a importância da leitura enquanto competência fundamental para potencializar conhecimento e inclusão.

Criar leitores constitui o principal desafio assumido pela equipa de voluntários que promove conhecimento e, simultaneamente, o adquire. Cientes de que criar leitores é uma tarefa árdua acreditamos que é fulcral para perpetuar um percurso escolar e académico de sucesso dos nossos jovens, para a criação de massa crítica e para a existência de uma sociedade aberta e inclusiva.

Este projecto assume uma forte investigação na área cultural e educacional, através da publicação de obras desenvolvidas por autores madeirenses e, concomitantemente, integrar estudantes e antigos estudantes nos vários processos inerentes à publicação de uma obra, como a selecção de conteúdos, a transcrição, a adaptação de textos, a idealização, a revisão ou a promoção, possibilitando a aquisição de experiência e competências úteis para a sua integração futura no mercado de trabalho.

Consulte, aqui, o catálogo de publicações da IMPRENSA ACADÉMICA.