Reitores pedem mais financiamento
27 de Maio de 2020.
COVID-19 e produtos descartáveis
5 de Junho de 2020.
Mostrar Tudo

Missão à Estação Espacial

Foi uma viagem de 19 horas. Depois de ter saído da Terra no sábado, o módulo da empresa privada SpaceX que leva dois astronautas da NASA a bordo acoplou à ISS, tal como previsto. Cerca de três horas depois, os astronautas entraram na Estação Espacial Internacional.

A cápsula da empresa privada SpaceX que leva dois astronautas da agência espacial norte-americana NASA a bordo já acoplou à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) neste domingo. Mais de três horas depois, os astronautas entraram na Estação Espacial Internacional.

Dentro da cápsula Crew Dragon estavam os astronautas Doug Hurley e Bob Behnken, que estiveram à espera que fossem feitos os testes de pressão para se certificarem que se podiam juntar à tripulação russa e norte-americana dentro da ISS sem problemas. A confirmação da chegada à estação aconteceu às 15h16 (hora de Portugal continental), refere a NASA, cerca de 15 minutos antes da hora prevista.

Foi uma viagem de 19 horas, com tempo até para dormirem.Feitos os testes de pressão e para verificar se não havia fugas, a abertura da escotilha aconteceu às 18h02 (hora de Portugal continental). Lá dentro, à espera, estava o astronauta da NASA Chris Cassidy e os cosmonautas russos Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner prontos para receber os novos tripulantes da Estação Espacial Internacional – que tem humanos a viver no seu interior desde Novembro de 2000. Houve abraços calorosos e sorrisos assim que se encontraram todos às 18h22.

“Este é apenas um pequeno esforço que podemos mostrar nestes tempos negros que vivemos nos últimos meses, e para que possamos inspirar pessoas mais novas a trabalhar arduamente para ver o que conseguem alcançar”, afirmou o astronauta Doug Hurley depois de entrar na ISS. “Ficámos surpreendidos com o quão calma foi [a aproximação] depois da viagem atribulada que tivemos”, comentou ainda Bob Behnken, lado a lado com os outros tripulantes da Estação Espacial Internacional.

A acoplagem foi feita a 422 quilómetros de altitude da Terra – neste caso, mesmo “por cima” da fronteira entre a China e a Mongólia, lê-se no site da NASA. Foi um processo quase todo automatizado, com os dois astronautas a bordo a activarem apenas os propulsores para dar um “empurrão” para que a cápsula chegasse à Estação Espacial Internacional, refere o jornal The New York Times. Tanto Hurley como Behnken tinham formação para operar a cápsula manualmente, caso houvesse alguma complicação durante a manobra de aproximação à ISS. A Estação Espacial Internacional viaja a uma velocidade superior a 27 mil quilómetros à hora.

“Tem sido uma verdadeira honra poder ser uma pequena parte deste empreendimento de nove anos desde a última vez que uma nave dos Estados Unidos acoplou com a Estação Espacial Internacional”, disse o astronauta Doug Hurley, de 53 anos, assim que foi concluída a manobra de acoplagem.

A meio da viagem, os dois astronautas fizeram uma visita guiada transmitida em vídeo onde mostraram o interior da cápsula e todos os mecanismos de controlo que existem a bordo. A certa altura, aparece um brinquedo brilhante em forma de dinossauro (um Apatosaurus) a flutuar pela nave – no vídeo em directo do lançamento, o momento em que apareceu a “flutuar” foi aquele em que atingiram o momento de gravidade zero. “Não fui só eu e o Doug que conseguimos este lançamento”, brincou o astronauta Bob, explicando que era o brinquedo de um dos filhos dos astronautas. “Assim também conseguem fazer parte de tudo isto.”

O foguetão que lançou a cápsula no espaço descolou no sábado e foi a primeira vez que os Estados Unidos recorreram a uma empresa privada, a SpaceX de Elon Musk, para pôr astronautas em órbita. O primeiro lançamento que estava previsto para quarta-feira foi adiado por causa do mau tempo, mas no sábado o foguetão Falcon 9 partiu da plataforma 39 do Centro Espacial Kennedy, na Florida, às 20h22 (na hora de Portugal continental). Foi também o primeiro foguetão a sair com astronautas de solo americano rumo à ISS em quase uma década. A aparatosa explosão de um outro projecto da SpaceX (que não está relacionado com a parceria da NASA), que se desfez em chamas na sexta-feira à noite, ensombrou a partida dos astronautas.

Mas tudo correu bem e o plano foi cumprido à risca. Três minutos depois de sair do solo, foi iniciada a fase dois do lançamento, com o Falcon 9 a separar-se da cápsula. Dez minutos após o lançamento, o Falcon 9 regressou “são e salvo” à plataforma I Still Love You, no mar. A cápsula Crew Dragon, que leva os dois astronautas no interior, continuou a viagem em direcção à ISS, onde chegou agora. Os dois norte-americanos vão ficar no espaço durante algumas semanas.

Clique aqui para ler a notícia do Público de 31/05/2020.