Beethoven Memorial
4 de Março de 2020.
Festung Hohensalzburg
6 de Março de 2020.
Mostrar Tudo

1 em 5 crianças em risco de pobreza

Valores registados por Portugal têm vindo a diminuir e estão ligeiramente abaixo da média da União Europeia. Ainda assim, percentagem é superior à dos adultos e dos idosos.

Em 2018, mais de um quinto (21,9%) dos menores de 18 anos encontravam-se em risco de pobreza ou exclusão social, em Portugal. O valor está ligeiramente abaixo da média da União Europeia (23,4%). Os dados são do Eurostat e foram divulgados nesta quinta-feira.

A percentagem de crianças portuguesas em risco de pobreza ou exclusão social tem vindo a recuar nos últimos anos. De acordo com os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE, em 2015 a percentagem era de 29,6%, desceu para os 27% em 2016 e para os 24,2% em 2017.

Segundo os dados do Eurostat publicados esta quinta-feira, quase um quarto dos menores na UE se encontravam em risco de pobreza ou exclusão social, em 2018, contra 22,1% de adultos (dos 18 aos 64 anos) e 18,4% dos idosos (mais de 65 anos).

Em Portugal, a proporção de crianças em risco de pobreza era também maior do que a de adultos (21,6%) e idosos (21,2%).

Os menores de 18 anos constituíam o grupo etário mais exposto à pobreza ou exclusão social em quase metade dos Estados-membros da UE, com a taxa de risco a variar entre os 13,1% (na Eslovénia) e os 38,1% (na República Checa), aponta o Eurostat

O gabinete oficial de estatísticas da UE entende que alguém está em “risco de pobreza ou exclusão social” se estiver em risco de pobreza após transferências sociais (pobreza de rendimentos), se viver em situação de privação material severa ou se viver em agregados familiares com intensidade laboral muito reduzida.

Notícia do Público de 05/03/2020.