Carlo Waibel
13 de Fevereiro de 2020.
Bilderbuch
15 de Fevereiro de 2020.
Apresentação da obra VIAGENS – N.º 6 da colecção Ilustres (Des)conhecidos.

20 de Fevereiro, pelas 18:00.

A obra encontra-se à venda na Gaudeamus, na Fnac, na Wook, na Bertrand (online e lojas) e noutros livreiros nacionais e regionais.

A obra será apresentada por Miguel Silva Gouveia, presidente da Câmara Municipal do Funchal, no Teatro Municipal de Baltazar Dias, a casa que aclamou João dos Reis Gomes como dramaturgo e actor, nas celebrações do V Centenário do Descobrimento da Madeira, há cerca de 100 anos. Na mesma ocasião, haverá a conferência MADEIRA, UM DIAMANTE EM BRUTO proferida por Sérgio Gonçalves, gestor e antigo Vice-Presidente da AP-Madeira. A sessão será no dia 20 de Fevereiro, pelas 18:00.

Sobre a colecção Ilustres (Des)conhecidos

A Académica da Madeira, através da sua chancela editorial, a Imprensa Académica, ter vindo a apresentar a colectânea Ilustres (Des)conhecidos, com intenção de destacar o património literário madeirense.

Já se encontram disponíveis: OS QUE SE DIVERTEM DE LUZIA; MISTÉRIOS DO FUNCHAL, de Ciríaco de Brito Nóbrega; SAIAS DE BALÃO de Ricardo Nascimento Jardim; UMA FAMÍLIA MADEIRENSE de João França; e A MÃO DE SANGUE de João Augusto de Ornelas.

Todos eles ilustres escritores do nosso arquipélago que já integram as edições da Académica.

Em 2020, o primeiro autor a ser publicado é João dos Reis Gomes, ou como ficou mais conhecido, o Major Reis Gomes, através do volume Viagens que agrega três relatos de viagem publicados pelo autor, ainda em vida: ATRAVÉS DA FRANÇA, SUÍÇA E ITÁLIA (1929); TRÊS CAPITAIS DE ESPANHA. BURGOS, TOLEDO E SEVILHA (1931); e ATRAVÉS DA ALEMANHA (1949).

Nesta edição, mesmo mantendo o discurso original do autor, a grafia está adaptada ao Acordo Ortográfico de 1990. Conta uma apreciação, em posfácio, por Paulo Figueira, doutorando da Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira, com coordenação e prefácio da investigadora e professora universitária Ana Isabel Moniz.

Sobre João Reis Gomes

João dos Reis Gomes (1869-1950), personalidade que nomeia uma das artérias do centro do Funchal e que cujo busto se ergue no Jardim Municipal da cidade, foi uma das mais notáveis e completas figuras intelectuais da Madeira, no início do século XX, sendo jornalista, professor, escritor, dramaturgo, crítico de arte e até actor.

No jornalismo, além de dirigir publicações regionais e correspondeu-se com alguns dos grandes jornais portugueses da época.

Desenvolveu vários outros tipos de preparações, como romances históricos e novelas, peças de teatro, textos críticos de várias áreas do conhecimento e relatos de viagem.

Apaixonado por História, foi autor de A Filha de Tristão das Damas: Novela Madeirense, de 1909, e a peça histórica baseada naquela novela, Guiomar Teixeira, de 1912, consideradas das maiores obras de Reis Gomes. Guiomar Teixeira foi levada a palco, no Teatro Municipal do Funchal, durante as comemorações do V Centenário do Descobrimento da Madeira, conjugando o a peça com a projecção de uma porção do filme O Cerco a Safim, que anos antes havia sido filmado no Caniço.

Na peça Guiomar Teixeira foi apresentada pela companhia italiana Vitaliani-Duse, com o próprio João dos Reis Gomes no papel de Cristóvão Colombo, conservando-se uma fotografia sua usando o figurino na colecção do Vicente’s.

Homem de grande sensibilidade e atento aos detalhes, os seus relatos de viagem são, eles próprios, autênticos romances, cheios de ricas personagens, cenários incríveis, situações emocionantes e, claro, a sua própria apreciação pessoa.

Sobre a Imprensa Académica

A Imprensa Académica é uma editora criada em 2014 pela Académica da Madeira, que é a proprietária e a gestora de toda a sua actividade. Ao longo dos anos tem publicado em várias áreas do saber, através da iniciativa da sua equipa, de trabalhos contratados por entidades externas e de propostas recebidas de autores ou organizações.

A actividade da Imprensa Académica nasce para fomentar a investigação científica nos estudantes e nos antigos estudantes, divulgar os trabalhos produzidos nas instituições de ensino superior e promover a interacção com a sociedade. Aliado a esses propósitos, a actividade da Imprensa Académica permite a angariação de receitas para os programas de apoio social e de voluntariado da Académica da Madeira.

Vencedor, em 2019, do Prémio Boas Práticas Associativismo Jovem, na categoria Estudantil, atribuído pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude, a editora continua a apostar na oferta de oportunidades na comunidade académica, juvenil e população geral, como veículo de expressão enquanto escola de cidadania activa e de participação cívica e democrática dos jovens, sendo particularmente reconhecida pela sua qualidade, dimensão territorial e impacto social relevante na comunidade.

Consulte, aqui, o catálogo de publicações da Imprensa Académica.