A gigantic success – Dirk Nowitzki
10 de Janeiro de 2020.
A small country does wonders
12 de Janeiro de 2020.
Em seis anos de visitas guiadas dinamizadas pelos voluntários da Académica da Madeira a Igreja de São João Evangelista recebeu cerca 12.000 visitantes.

Em Janeiro assinala-se o sexto aniversário do início das visitas guiadas, em diversos idiomas e suportes, à Igreja de São João Evangelista, comummente conhecida por Igreja do Colégio.

Parte integrante do programa Herança Madeirense, reconhecido com 9 prémios e distinções, as visitas orientadas por voluntários, portugueses e estrangeiros, da Académica da Madeira possibilitaram um maior conhecimento e valorização do património histórico e religioso deste edifício que foi construído há 450 anos.
Foi a Companhia de Jesus, uma ordem religiosa que foi reconhecida pelo Papa Paulo III em 1540, que fundou o complexo, que integra o Colégio dos Jesuítas do Funchal e a Igreja do Colégio, dedicado ao Apóstolo João Evangelista. Este foi dos primeiros colégios criados fora do território europeu, a primeira escola da Madeira e uma das mais ricas instituições Jesuítas da Coroa.

Os cerca de 12.000 visitantes, onde se incluem e destacam os estudantes de diversas escolas da Região, “enfatizam a beleza dos azulejos, datados de cerca de 1720, com alegorias ao Livro do Apocalipse, obra da autoria de São João Evangelista”, referiu Dulce Rodrigues uma das pessoas que orienta as visitas educativas. Salientou, ainda, que os estudantes consideram uma actividade interessante pois “visualizam, durante a visita, conteúdos que trabalham no contexto de sala de aula e que ganham outra dimensão e importância ao visitarem a igreja”.

Alguns dos visitantes não entram no templo pela primeira vez. “Temos casos de pessoas que, ao terem conhecimento das nossas visitas gratuitas, passam por cá e acabam por ver e aprender sobre a história do edifício e até de episódios constantes na bíblia sagrada e aqui apresentadas. Algo a que, até então, passava-lhes despercebido”, acrescentou Carlos Diogo Pereira. Algo que maior curiosidade fomenta, quer aos estudantes quer os visitantes estrangeiros que visitam a Igreja, é a existência de dois púlpitos, obras de madeira preciosa laminada datadas de meados do século XVIII e que, dada a sua posição elevada, no meio da nave, permitia aos padres fazerem-se ouvir por toda a assembleia. “A razão de haver dois púlpitos, em vez de apenas um” – diz-nos – “deve-se à forma de pregação adoptada pelos Jesuítas. Durante os seus sermões um dos padres desempenhava o papel de Bem, colocando-se no púlpito do lado da Epístola, ou seja, à direita do altar-mor. Frente a ele, no púlpito do lado do Evangelho, o outro pregador assumia o papel de Mal, que dialogava com o Bem. Este sermão, em forma de teatro, permitia à Companhia ensinar às massas, de forma fácil, a doutrina católica.”, concluiu.

As visitas educativas são as que ocupam o segundo lugar de visitas orientadas desde 2014, num total de 2.010 estudantes de diferentes níveis de ensino da RAM. Em primeiro lugar das preferências está a visita com recurso a AudioGuia dado que permitem visitas em 4 idiomas (português, inglês, francês e alemão) e num registo de maior autonomia onde o visitante pode explorar o edifício ao seu próprio ritmo e gosto pessoal.

As visitas, gratuitas, ganharão outro fulgor no ano em que se assinalam os 450 anos da criação do Colégio dos Jesuítas do Funchal. A história do Colégio dos Jesuítas começa em 1566, com um ataque de corsários franceses ao Funchal, seduzidos pela riqueza da Cidade do Açúcar. Em resposta, o rei D. Sebastião enviou uma armada de Lisboa comandada por Simão Gonçalves da Câmara. Nessa armada chegaram 3 padres Jesuítas com o objectivo de dar apoio à população e combater as ideias religiosas protestantes que os corsários trouxeram. Esta missão foi tão bem-sucedida que D. Sebastião decidiu criar o Colégio de São João Evangelista, por alvará régio de 20 de Agosto em 1569. Para assinalar esta efeméride estão a ser preparadas actividades complementares às visitas orientadas já existentes, a decorrer em 2019 e anos seguintes.

Sobre a Herança Madeirense

O Sarau de Fados é uma das várias iniciativas que integram o nosso programa Herança Madeirense que congrega a oferta cultural e turística promovida pela Académica da Madeira. Materializa-se através da dinamização de vários monumentos e atracções do Funchal onde são promovidos um conjunto amplo de serviços com destaque para as visitas educativas gratuitas que são proporcionadas aos estabelecimentos de ensino de toda a região. Além disso, a Herança Madeirense oferece, gratuitamente, saraus de música, exposições, visitas culturais temáticas, áudio guias, circuitos autónomos de História e outras iniciativas.

O Colégio dos Jesuítas do Funchal, a Igreja de S. João Evangelista, os Paços do Concelho do Funchal, a Assembleia Legislativa da Madeira, o Mosteiro de Santa Clara, o centro histórico da cidade e, desde Novembro de 2017, a Quinta Vigia são os monumentos e as atracções que estão integradas no nosso programa.

Através dos circuitos culturais e históricos os nossos colaboradores ajudam o visitante a conhecer o rico património material e imaterial da nossa região, permitindo que o visitante explore como esses monumentos, e os seus ocupantes, ajudaram a moldar a nossa sociedade. A Académica angaria os seus próprios fundos e depende do apoio dos seus visitantes, doadores, mecenas e voluntários. Através dos proveitos das visitas conseguimos financiar vários programas de apoio social cujos beneficiários são os estudantes da Universidade da Madeira.

Vencedor, em 2018 e pela quinta vez consecutiva, do Certificado de Excelência do maior portal de viagens do mundo, o Trip Advisor, a Herança Madeirense acumula vários prémios e distinções como o Prémio de Boas Práticas do Associativismo Jovem, atribuído em 2017 pelo Instituto Português da Juventude e Desporto, e o Prémio de Voluntariado Universitário, atribuído em 2017 pelo Banco Santander.

O programa Herança Madeirense segue apostando na capacitação dos seus colaboradores e na excelência dos seus serviços disponibilizando ao público – nacional e internacional – experiências únicas e de qualidade.