Visible and invisible similarities
22 de Novembro de 2018.
EU in the Atlantic Ocean?
26 de Novembro de 2018.
Já à venda na Wook, na Bertrand, na Fnac, em qualquer Gaudeamus. e nas principais livrarias da região e do país.

Funchal. Anos 40 do séc. XIX. Herança maldita. Mistério(s). Estas constituem as palavras-chaves da publicação da obra Os Mistérios do Funchal de Ciríaco de Brito Nóbrega, publicada pela primeira vez em 1881 e impresso na Tipografia do Diário da Madeira.

Depois das 10 horas da noite, a cidade do Funchal assemelha-se, pela profunda solidão que reina por toda a parte, a uma cidade de mortos. Desaparecem os transeuntes; calam-se todos os pequenos rumores da povoação; fecham-se todas as portas; e nas ruas, mal alumiadas, por candeeiros, que derramam uma luz débil e pálida, apenas se nota, uma vez por outra, um mísero ébrio que tropeça, ou um cão vadio, que corta o silêncio da noite com algum latido.

in Mistérios do Funchal (2018), p. 228.

A Imprensa Académica, a chancela editoral da Académica da Madeira, preparou o 2.º número dos Ilustres (Des)Conhecidos, colecção que, ao longo das próximas décadas, pretende recordar ou apresentar autores e obras literárias que foram publicados no passado, mas que, temporal ou espacialmente distantes do público, devem compor o corpus literário madeirense, conhecido e acessível, para afirmação e edificação contínua da nossa Cultura e Arte.

Carlos Abreu, Presidente da Direcção, refere que “a colecção reúne vários investigadores, de Portugal e de outros países, que fazem a coordenação literária dos textos reeditados. Outros estudiosos são convidados a participarem através da execução, por exemplo, de um posfácio, como foi o caso do Professor Thierry Proença dos Santos”. A colecção, ao exemplo das demais obras da editora, integra o trabalho de vários estudantes que, durante o seu curso, desenvolvem actividades relacionadas com a edição dos livros. Essa vertente acaba por facultar uma experiência profissional que será muito valorizada no mercado de trabalho, além de enriquecer a componente científica, extracurricular, dos cursos desses estudantes.

O 2.º número, Os Mistérios do Funchal, tem como primeiro mistério a desvendar o autor da obra pois a edição original, que agora se recupera, não o revelava. Consta, contudo, na introdução, intitulada «Duas palavras», que se tratava de uma obra escrita a três mãos: «Três homens unidos pelo mesmo pensamento e compenetrados do mesmo fim colaboraram neste romance.»

O esclarecimento chega-nos por Alfredo César de Oliveira, num texto publicado pelo Diário de Notícias, do Funchal, na edição do dia 28 de agosto de 1881, onde afirma «O sr. Ciríaco de Brito Nóbrega é, de feito, o autor do romance […]».

O historiador Nelson Veríssimo, coordenador literário deste número da colecção, apresenta-nos a trama, que “desenvolve-se à volta de Margarida, uma jovem de humilde condição, que se enamorou de um padre católico, mas não consumou esse amor. Por recusar um casamento, sugerido pelo seu pai, a jovem será internada no Convento da Encarnação, na condição de recolhida. A morte do pai traz-lhe a liberdade e o desespero, que culmina numa tentativa desesperada.”

Segundo o Professor Thierry Proença dos Santos, autor do posfácio, a obra “descende em linha direta de Les Mystères de Paris (1842-1843), de Eugène Sue, um romance-folhetim cujo inusitado sucesso deu azo a múltiplas imitações pelo continente europeu e também fora dele, constituindo assim a subespécie romanesca dos «mistérios urbanos» do séc. XIX.”

A obra será apresentada no dia 29 de Novembro, pelas 18:00, no Colégio dos Jesuítas do Funchal, seguindo-se o debate O valor da Herança: (Re)pensar a sociedade à luz da dinâmica da nova ordem mundial.

As obras da Imprensa Académica chegam, neste momento, a todo o mundo. Presentes nas principais redes de livrarias de Portugal, além de vários livreiros locais, os títulos são comercializados, para todo o mundo, através de várias lojas como a Wook. Desde 2018, os livros também são vendidos em livrarias de várias capitais, como Paris, Bruxelas ou Nova Iorque, parte de um plano de internacionalização em curso, através da sua comercialização em várias cidades do globo.

Próximo número, que estará sob a coordenação literária de um renomado investigador português que lecciona numa das melhores universidades do mundo, será apresentado no início do segundo trimestre de 2019, ano em que a Imprensa Académica tem previsto o lançamento de mais 3 número da colecção, além de outros títulos.

Consulte, aqui, o catálogo de publicações da Imprensa Académica.

Sobre o Autor

Ciríaco de Brito Nóbrega, filho de Roberto Constantino de Nóbrega e Matilde Leocádia de Brito Nóbrega, nasceu na freguesia de São Pedro, Funchal, em 15 de março de 1856, sendo batizado no dia 27 desse mês. Casou no dia 13 de setembro de 1883, em São Pedro, com Maria Cândida Mesquita Spranger, filha de Cândido Augusto Mesquita Spranger e Felisberta Augusta Pestana Mesquita Spranger. Faleceu na sua residência, na Rua do Favila, da cidade do Funchal, em 1 de abril de 1928.

Ao noticiar a sua morte, o Diário de Notícias delineou o seu retrato: «A figura de Brito Nóbrega era inconfundível: baixo, magro, impressionantemente magro, dependurado, quase incessantemente, num charuto, com um andar em baloiço, conhecia-se a distância.» (3-04-1928)

Sobre a Imprensa Académica

A actividade da Imprensa Académica, chancela editorial da Académica da Madeira, pretende fomentar a investigação científica nos estudantes e nos antigos estudantes da UMa, divulgar os trabalhos produzidos pelos membros da nossa Universidade e aproximar o leitor do conhecimento científico que não pode ficar restrito a um círculo próximo do ensino universitário. Aliado a este propósito objectivou-se dedicar estas publicações à angariação de receitas para o apoio social aos estudantes da UMa. Acreditamos que a produção e a venda de livros é um trabalho moroso, mas sabemos que é o caminho certo para o sucesso académico da nossa Comunidade Académica.

A equipa editorial da Imprensa Académica é composta por estudantes e por antigos estudantes da Universidade da Madeira (UMa). Profissionais, titulares do grau de licenciado ou do grau de mestre, dão formação e trabalham em conjunto com vários estudantes, investigadores e docentes.