Harry Mulisch
22 de Maio de 2018.
Erich Kästner
25 de Maio de 2018.
Mostrar Tudo

Asteróide extra-solar

Corpo de cerca de três quilómetros de diâmetro foi capturado pelo planeta Júpiter.

Descobriu-se um asteróide extra-solar que se fixou no nosso sistema solar, na órbita de Júpiter, o maior planeta do nosso sistema solar. Trata-se do asteróide 2015 BZ509, que tem assim origem fora do sistema solar, revela um estudo agora publicado.

Perceber exactamente como é que o asteróide se fixou no sistema solar, em vez de o atravessar e seguir na sua trajectória, poderá fornecer novas pistas sobre a formação dos planetas, a evolução do próprio sistema solar e a possível origem da vida.

Ao contrário dos planetas do sistema solar e da maioria dos outros corpos celestes, que orbitam o Sol no mesmo sentido, o 2015 BZ509 transita em sentido oposto, tendo o que se chama “órbita retrógrada”, o que pode revelar a sua origem. Tem cerca de três quilómetros de diâmetro.

Segundo os autores do estudo, Fathi Namouni (do Observatório da Côte d’Azur, em França) e Helena Morais (investigadora portuguesa do Instituto de Geociências e Ciências Exactas da Universidade Estadual Paulista, no Brasil), a proximidade das estrelas e auxílio as forças gravitacionais dos planetas ajuda os sistemas estelares “a atraírem, removerem e capturarem asteróides uns dos outros”, refere uma nota da Real Sociedade Astronómica que edita a publicação Monthly Notices, onde a descoberta foi revelada.

Notícia do Público de 22 de Maio de 2018.