History Tellers: 3 percursos
15 de Janeiro de 2018.
Hello and goodbye
15 de Janeiro de 2018.
Sendo o EVS parte do programa ERASMUS+, não precisei de possuir muitos recursos para participar!

Através da associação onde fui acolhido, fui enviado para 2 campos de férias (faz parte da tradição ucraniana no verão as crianças e jovens irem a campos de ferias).

No primeiro campo fiquei 9 dias com cerca de 45 participantes, organização e mais 5 voluntários. Dormíamos em tendas no meio da floresta, a 5Km da fronteira com Rússia, basicamente sem rede telefónica. Além de desenvolver as nossas atividades também participava nas em muitas outras, desde jogar vólei, cantar, aprender a língua russa e ucraniana, ir tomar banho num rio e até buscar água para todo o campo de cavalo as 7h da manhã.

No segundo campo de férias fiquei 15 dias. O Kosmos camp, também um pouco afastado do centro da cidade, tem, na sua estrutura influência do tempo da União Soviética. No campo tinha cerca de 250 crianças entre os 6 e 17 anos, funcionários, responsáveis pelo desenvolvimento das atividades e eu, o único voluntário estrangeiro. Todas as crianças estavam curiosas para saber o porquê de ter decidido ir para Ucrânia, se estava a gostar do país, como era morar na União Europeia e se algum dia iria voltar, para os ver novamente.

Tentei partilhar o máximo de conhecimento possível e desenvolver as minhas atividades, o problema, por vezes vezes, era o limitado número de pessoas que falavam inglês. Mesmo assim, participei ativamente em tudo, até mesmo mas apresentações musicais, coisa que eles levam muito a sério naquele campo em específico. Confesso que não dancei muito bem mas podem verificar e rir um pouco através dos links aqui disponibilizados, através da conta do YouTube gerenciada pelo próprio campo de férias

Confesso que as condições estruturais e a alimentação no campo por vezes não eram as melhores do mundo mas consigo entender, já que vivem numa sociedade que ainda necessita de muitas mudanças.

Vale muito a pena participar no Serviço de Voluntariado Europeu!

Não sei se foi sorte minha mas os voluntários eram 10 estrelas. Éramos à volta de 12 voluntários, de 6 nacionalidades diferentes. Todos, ou quase, sempre super divertidos. Encontrávamos-nos todos os dias e quando não estávamos nos campos, almoçávamos e jantávamos juntos, e sempre em restaurantes já que na Ucrânia era tudo muito barato, principalmente em Sumy, enquanto cidade do interior do país. Lá, era possível encontrar, refeições de boa qualidade por aproximadamente 2.50€. O transporte público, custava aproximadamente 15 cêntimos, no entanto as condições encontradas também não eram as melhores.

Tentámos sempre explorar um pouco mais as cidades por onde passámos, convivendo no apartamento de alguns dos voluntários. Amizades foram criadas para toda vida, até mesmo com aqueles que também participaram no primeiro campo de férias.

Nos tempos livres, tentámos sempre viajar e conhecer sítios novos. A primeira viagem foi para Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia com todos os voluntários. Para a grande maioria era primeira vez, então, durante 2 dias, explorámos os pontos turísticos. De acordo com o estipulado no programa, e em relação às férias, preferi acumulá-las, deixando-as para o último mês, conseguindo assim passar 10 dias na Rússia. Fui de comboio de Sumy para Moscovo (12h) e de São Petersburgo para Kiev (24h). Como sempre tive grande interesse em visitar a Rússia, tornou-se uma experiência inesquecível.

Dois meses podem parecer pouco tempo para terem influência mas a verdade é que vou lembrar, para o resto da minha vida dos meses de Julho e Agosto de 2017. Conheci pessoas incríveis, aprendi a valorizar as coisas mais simples e a respeitar as diferenças estruturais e culturais dos outros países. Consegui partilhar a minha experiência de vida e profissional, mas  mais do que ensinar, adquiri imensos conhecimentos e experiências de vida. Espero um dia poder voltar para lá e reencontrar as pessoas que conheci.

A Ucrânia era apenas um país mas agora o país já possui caras, cheiros, nomes e muitas lembranças. Para mim, a Ucrânia é, agora, o Vlad, Yaro, Tim e todas as pessoas que conheci nos 2 meses que lá estive. Aprendi atribuir uma maior importância para as situações humanitárias e políticas do país, aprendi a escutar os que possuem uma postura mais conservadora mas também partilhei algumas ideias com aqueles que querem melhorar o país. Aprendi que apesar da Ucrânia não ter a melhor estrutura do mundo, existem pessoas que querem fazer este mundo um lugar melhor.

Por vezes podemos deparar-nos com situações negativas e/ou stressantes, mas no final das contas os pontos positivos serão sempre muito mais relevantes.

Miss you Ukrain e obrigado a todos os envolvidos no programa.

Willian Gomes, voluntário madeirense na Ucrânia.

Sobre o programa Erasmus+

O Erasmus+ é um programa da Comissão Europeia que abraça os campos da educação, da formação, da juventude e do desporto durante o quadro europeu 2014-2020. Uma das grandes vertentes dessa acção é a cooperação nas suas áreas de actuação, contribuindo para uma Europa plural e rica.

Entre os vários objectivos do programa, constituem as prioridades: os objectivos presentes na Estratégia Europa 2020, incluindo o grande objectivo em matéria de educação; os objectivos do Quadro Estratégico para a cooperação europeia no domínio da educação e da formação 2020 (EF 2020), incluindo os correspondentes critérios de referência; o desenvolvimento sustentável de Países Parceiros no domínio do ensino superior; os objectivos gerais do “Quadro renovado da cooperação europeia no sector da juventude” (2010-2018); o objectivo de desenvolvimento da dimensão europeia no desporto, em particular no desporto de base, em consonância com o plano de trabalho da UE para o desporto; a promoção dos valores europeus, nos termos do artigo 2.º do Tratado da União Europeia.

Para que esses objectivos possam ser alcançados, o Erasmus + materializa-se em várias políticas de acção. A acção 1 (KA1), diz respeito a mobilidade de indivíduos, a acção 2 (KA2) relaciona-se com a cooperação para a inovação e a troca de boas práticas e a acção 3 (KA3) refere-se ao apoio às políticas de reforma.

Sobre o Serviço Voluntário Europeu

Desde 1991 a Associação Académica tem desenvolvido uma ampla política de incentivo ao voluntariado. Em 2013, para ampliar a sua acção nesse campo, iniciámos a nossa acreditação enquanto entidade que recebe, envia e coordena projectos Erasmus +, no Serviço Voluntário Europeu, tendo recebido o primeiro voluntário, no âmbito de um projecto da KA1, em 2014. Temos desenvolvido um grande trabalho para que os jovens madeirenses possam participar em várias iniciativas na Europa, e temos proposto vários projectos para permitir que os jovens de vários países possam trabalhar nos projectos da Associação Académica da Universidade da Madeira, sempre considerando que o principal objectivo de voluntariado é beneficiar as comunidades e localidades onde desenvolverão as suas actividades, através do seu trabalho voluntário e sem qualquer remuneração financeira. Acreditamos que o Serviço Voluntário Europeu é uma ferramenta rica em vivências e experiências, onde todos os candidatos aprovados terão o privilégio de participar nesses projectos, podendo beneficiar as localidades e comunidades onde estão inseridos.

A Associação Académica da Universidade da Madeira tem recebido, desde 2013, vários voluntários que têm colaborado em diversas actividades e iniciativas. Além de poderem desfrutar de uma fantástica experiência que irá contribuir para o seu crescimento a nível pessoal e profissional, têm a oportunidade de interagir com os vários voluntários da Universidade da Madeira e contribuir, de forma única, para o desenvolvimento da comunidade em que estão inseridos.