26% candidatos à bolsa sem resposta
20 de Dezembro de 2017.
A Let’sGOut arranja-te companhia
8 de Janeiro de 2018.
Mostrar Tudo

Embrião congelado durante 24 anos

Emma nasceu em Novembro, mas foi concebida em 1992. A mãe que agora deu à luz a bebé tinha na altura um ano e meio.

A bebé Emma Wren Gibson nasceu a 25 de Novembro deste ano, mas a sua história não é assim tão simples: o seu embrião tinha sido congelado a 14 de Outubro de 1992. Por essa altura, a mulher que agora adoptou o embrião, implantado no seu útero, tinha pouco mais de 18 meses de idade. Segundo os investigadores do centro médico da Universidade de Tennessee, nos Estados Unidos, trata-se de um “recorde mundial”, já que poderá ser o embrião humano que esteve mais tempo congelado e que acabou por dar origem a um bebé saudável.

Os pais de Emma, que vivem no estado norte-americano de Tennessee, admitiram ter ficado chocados quando souberam a idade do embrião, que foi descongelado em Março — sobretudo porque Tina Gibson, a mãe, só tem 26 anos. “Este embrião e eu poderíamos ter sido melhores amigos”, disse à CNN. “Eu só queria um bebé. Não me interessa se é um recorde mundial ou não”.

A história de Emma, que completará um mês de vida na próxima segunda, começou há mais de duas décadas, grande parte dela enquanto embrião guardado num recipiente de azoto líquido. Um casal anónimo decidiu, após ter recorrido à fertilização in vitro, deixar alguns embriões excedentários “armazenados” para que pudessem ser usados por alguém que não conseguisse ter filhos.

Os pais da bebé, Tina e Benjamin Gibson, estão casados há sete anos. Sabiam desde o início que seria difícil ter filhos biológicos, já que Benjamin, de 33 anos, sofre de fibrose cística, uma doença genética e degenerativa que, na maioria dos casos, resulta também em infertilidade masculina. Benjamin acredita que a sua filha é um “milagre”.

Notícia do Público de 20/12/2017.