Plantas e animais com parecenças
7 de Maio de 2018.
Multatuli
8 de Maio de 2018.
Mostrar Tudo

Galeria portuguesa vence prémio

Evento termina este domingo em Nova Iorque. Espaço mostra obras de Adriano Amaral, Adriano Costa, Ana Cardoso, Dan Rees e Gabriel Lima.

A galeria portuguesa Nuno Centeno recebeu o prémio de melhor stand desta edição da Frieze New York, uma das mais importantes feiras de arte contemporânea do mundo, informou a galeria portuense. O seu espaço foi premiado ex-aequo com o stand da galeria indiana Jhaveri Contemporary. Com obras de Adriano Amaral, Adriano Costa, Ana Cardoso, Dan Rees e Gabriel Lima, a Nuno Centeno encontra-se até este domingo em Nova Iorque.

O prémio representa um valor pecuniário de 7500 euros, escreve o jornal especializado The Art Newspaper, e é atribuído anualmente pela Frieze, uma empresa de média e eventos que além da revista britânica homónima organiza feiras de arte contemporânea desde 2003 em Londres, expandindo-se para Nova Iorque em 2012 e preparando-se para realizar também a Frieze Los Angeles em 2019.

Com o espaço D32 em Randall’s Island Park, a galeria Nuno Centeno está desde quinta-feira e até este domingo em Nova Iorque na secção Focus – uma das quatro secções curatoriais da feira e que é dedicada às “jovens galerias”, ou espaços com menos de 12 anos de existência. Segundo o site da Frieze New York, é a única galeria portuguesa representada nesta edição, agora distinguida com o prémio atribuído por um júri de peritos de vários museus e que inclui a ex-directora do Museu de Serralves Suzanne Cotter, agora directora do Madam Luxembourg — Musée d’Art Moderne Grand-Duc Jean.

Segundo o Art Newspaper, o júri considerou a disposição das obras presentes “arrojada” e de uma “frescura equilibrada”, produzindo um “diálogo interessante” entre os diferentes artistas. Ao jornal, Centeno disse-se orgulhoso: “Estar em feiras de arte é um grande esforço e despesa para galerias da minha geração”.

O prémio representa um valor pecuniário de 7500 euros, escreve o jornal especializado The Art Newspaper, e é atribuído anualmente pela Frieze, uma empresa de média e eventos que além da revista britânica homónima organiza feiras de arte contemporânea desde 2003 em Londres, expandindo-se para Nova Iorque em 2012 e preparando-se para realizar também a Frieze Los Angeles em 2019.

A Galeria Nuno Centeno sucede à Reflexus/Nuno Centeno (2007-2011) e em 2014 Bruno Múrias (ex-Filomena Soares, uma das mais importantes galerias portuguesas) juntou-se à galeria tendo-se rebaptizado como Galeria Múrias Centeno. Os caminhos separaram-se no final de 2017 e em Janeiro de 2018 o espaço voltou à designação Galeria Nuno Centeno.

Notícia do Público de 06/05/2018.