Desenvolve as tuas Soft-skills!
9 de Abril de 2018.
Abril é mês de Sarau!
16 de Abril de 2018.
Mostrar Tudo

A História da Madeira continua…

No próximo dia 16 de Abril, pelas 18:00, no auditório da Reitoria da Universidade da Madeira, no Colégio dos Jesuítas do Funchal, será apresentado o 4.º volume da colecção História da Madeira.

História da Madeira. Séc. XVIII – A Nova Arquitetura de Poderes é a nova obra da Imprensa Académica (IA), chancela editorial da Académica da Madeira, da autoria do historiador e professor Rui Carita. Para fomentar o conhecimento e o gosto pela nossa História, será oferecido um livro da IA a todos os jovens, até 18 anos, cujos acompanhantes, representantes ou familiares adquiram, pelo menos, um volume da Colecção.

Com apresentação de Miguel Albuquerque, Presidente do Governo Regional, a obra, editada com o objectivo de celebrar os 600 anos do início do povoamento da Madeira, traça com detalhe a realidade insular durante o séc. XVIII, sendo acompanhada com cerca de 200 ilustrações e várias notas explicativas. Pretende-se, com isso, tornar a nossa História acessível a todo o público, incluindo o infanto-juvenil, sem comprometer o rigor científico que apresenta décadas de investigação do autor.

A Madeira foi instituída no início do século XVI como diocese dos descobrimentos e das conquistas da Expansão portuguesa, com a sagração da sé do Funchal em 1517 e a elevação da mesma a sede de arcebispado, em 1533, embora por pouco tempo.

O século XVIII marcou, na Madeira, a efectivação da centralização régia, que as dificuldades de comunicação do século anterior não tinham facilitado, com a afirmação do poder do governador e capitão-general, do prelado diocesano e do provedor da fazenda, logicamente, nem sempre em perfeita consonância. Afirma-se, entretanto, a câmara do Funchal, como “cabeça desta Ilha”, correspondendo-se directamente com a corte de Lisboa, embora nem sempre a mesma lhe responda e acentua-se o domínio, quase absoluto, da produção e do comércio vinícola, tal como dos comerciantes britânicos, que só perto dos finais desse século encontram casas comerciais madeirenses para lhes fazer concorrência.  Os contactos internacionais da sociedade madeirense levam à constituição das lojas maçónicas, o que implicou, depois, uma intensa perseguição, primeiro da Igreja e, depois, do governador, mas lançando, a curto prazo, as bases da implementação do Liberalismo, instituído nos inícios do século seguinte.

Sobre o autor

Rui Carita ( 1946; – )

É professor catedrático de Arte e Design da Universidade da Madeira, onde exerceu funções de vice-reitor e pró-reitor para a área de projectos científicos. Foi professor convidado da Universidade de Pisa, em Itália, e assessor para a recuperação de património na Universidade de Santa Catarina, no Brasil. Em 2013 editou, em parceria com a Associação Académica da Universidade da Madeira, a obra Colégio dos Jesuítas – Memória Histórica, o que constitui o primeiro passo para a abertura do antigo Colégio dos Jesuítas do Funchal ao público. Em 2012 foi convidado a integrar um projecto similar, no sultanato de Sarjah, nos Emirados Árabes Unidos, que envolveu trabalhos de arqueologia nas antigas fortalezas portuguesas do Golfo da Arábia. Tem orientado teses de mestrado e de doutoramento em universidades portuguesas, italianas, espanholas e marroquinas, onde também tem integrado júris, especialmente nas áreas do Património Edificado, da Arquitetura e Urbanismo, da Arqueologia e das Artes Decorativas. É autor de cerca de 50 livros de 200 catálogos, além de roteiros de comunicações editados em várias línguas. Em 2010, foi editado o seu Roteiro Republicano, referente à Madeira e, em 2008, os vários trabalhos sobre a história da cidade do Funchal, pela comissão Funchal 500 anos, responsável pelas celebrações do 5.º centenário da elevação do Funchal a cidade, e pelos CTT – Correios de Portugal.

Sobre a Imprensa Académica

A actividade da Imprensa Académica, chancela editorial da Académica da Madeira, pretende fomentar a investigação científica nos estudantes e nos antigos estudantes da Universidade da Madeira (UMa), divulgar os trabalhos produzidos pelos membros da nossa Universidade e aproximar o leitor do conhecimento científico que não pode ficar restrito a um círculo próximo do ensino universitário. Aliado a este propósito objectivou-se dedicar estas publicações à angariação de receitas para o apoio social aos estudantes da UMa. Acreditamos que a produção e a venda de livros é um trabalho moroso, mas sabemos que é o caminho certo para o sucesso académico da nossa Comunidade Académica.

A equipa editorial da Imprensa Académica é composta por estudantes e por antigos estudantes da Universidade da Madeira. Profissionais, titulares do grau de licenciado ou do grau de mestre, dão formação e trabalham em conjunto com vários estudantes, investigadores e docentes.