Procura por cursos curtos abrandou
12 de Março de 2018.
Anarchism in Portugal
15 de Março de 2018.
Mostrar Tudo

Coimbra decide acabar com garraiada

Decisão foi tomado em referendo realizado durante o dia de terça-feira

Os alunos da Universidade de Coimbra decidiram acabar com a garraiada na Queima das Fitas, com o “Não” a registar 70,7% dos votos no referendo realizado na terça-feira, informou a Comissão Organizadora daquela festa dos estudantes.

À pergunta “Deve o evento garraiada continuar no programa oficial da Queima das Fitas?”, 70,7% dos estudantes que participaram no referendo responderam “Não”, 26,7% “Sim”, contabilizando-se ainda 49 votos nulos e 96 votos em branco, disse à agência Lusa o secretário-geral da Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF), Manuel Lourenço.

Ao todo, registaram-se 5.638 votos, num universo de cerca de 24 mil estudantes, acrescentou.

A afluência às urnas para este referendo foi significativa, atendendo a que nas eleições para a direcção-geral da Associação Académica de Coimbra participaram quase oito mil estudantes em 2017 e menos de cinco mil em 2016.

Segundo Manuel Lourenço, após este resultado, o Conselho de Veteranos, que é um dos órgãos tutelares da Queima das Fitas e que rege as atividades tradicionais, terá “a palavra final”.

No entanto, o secretário-geral da COQF não acredita que, “em momento algum, o Conselho de Veteranos não honre a vontade dos estudantes, até porque já disse que iria honrar” o desejo destes.

O referendo decorreu na terça-feira, entre as 10h30 e as 24h00, com urnas em todas as faculdades da Universidade de Coimbra.

Em Fevereiro, a Comissão Central, parte integrante da COQF, decidiu, “por unanimidade, propor a abolição da garraiada como evento tradicional da festa”.

Face a essa posição, o Conselho de Veteranos e a Associação Académica de Coimbra – entidades tutelares da Queima – acordaram em realizar um referendo aos estudantes.

A decisão de propor a abolição da garraiada surge depois de, em 2016, a garraiada ter sofrido algumas alterações (foi retirada a lide do novilho a pé e a cavalo), face a protestos e discussão no seio da academia contra a realização do evento.

Em 2016, foi a Queima das Fitas do Porto que optou por suspender a garraiada académica, uma medida justificada pela “fraca adesão dos estudantes” àquela actividade nos últimos anos e à “queda da tradição tauromáquica”.

A Queima das Fitas de Coimbra realiza-se este ano de 04 a 11 de Maio.

Notícia do Público de 14/03/2018.