UMajuda
6 de Fevereiro de 2018.
Oudinot
14 de Fevereiro de 2018.
Visita guiada pela Rua da Carreira, liderada pelo Arquitecto Rui Campos Matos. 24 de Fevereiro, às 11:00, com ponto de encontro no Colégio dos Jesuítas do Funchal.

Desde o século XVI que há referência à Rua da Carreira, outrora Rua da Carreira dos Cavalos ou Rua da Carreira Velha dos Cavalos, por ali os cavaleiros treinaram os seus animais.

Partindo do antigo Largo da Igrejinha, que ficava onde está a actual Rua Câmara Pestana, a Carreira seguia até à Ponte de São Paulo, ligando o centro da cidade aos Ilhéus e, a partir de lá, para as quintas ocidentais. Tal como muitas outras ruas do Funchal, teve vários nomes, relativos às actividades comerciais nela praticadas ou a notáveis funchalenses que nela residiram.

Ao longo da Rua da Carreira o contemporâneo funde-se com o passado, através de solares e outros prédios nobres que têm vindo a ser restaurados. Logo no início da Rua encontramos o prédio que alberga o Photografia Museu ‘Vicentes’, onde algumas personalidades reais fizeram o seu retrato. A fachada apresenta uma logia ao gosto italiano, de três arcos góticos, possivelmente da campanha de obras reais levadas a cabo pelo mestre Jerónimo Jorge, nos finais do século XVI. O número 56, foi a casa que D. Laura Moniz de Bettencourt, avó da Artista Lourdes de Castro, fundou o Colégio João de Deus do Funchal, no início do século passado. Pertencente à Universidade da Madeira, o antigo solar dos Miguéis, onde viveu o Pintor Alfredo Miguéis, autor da pintura da Imaculada Conceição do retábulo-mor do Mosteiro de Santa Clara, foi casa do antigo Instituto Superior de Artes e Design. No cruzamento com a Rua de São Francisco, encontramos a casa onde viveu algum tempo e começou a escrever Os Fidalgos da Casa Mourisca, seu último romance, Júlio Dinis.

Estas e outras casas senhoriais, com beirais em beira ou tribeira, torres de ver-o-mar, gárgulas e outros detalhes impressionantes são agora visitadas com a Académica da Madeira, numa visita conduzida pelo Arquitecto Rui Campos Matos.

A visita terá lugar no dia 24 de Fevereiro, pelas 11:00 e partirá do Colégio dos Jesuítas – Reitoria da Universidade da Madeira.

Consulte, aqui, a programação da Herança Madeirense para o primeiro semestre de 2018.

Sobre a Herança Madeirense

Herança Madeirense congrega a oferta cultural e turística, promovida pela Académica da Madeira, materializa-se através da dinamização de vários monumentos e atracções do Funchal onde são promovidos um conjunto amplo de serviços com destaque para as visitas educativas gratuitas que são proporcionadas aos estabelecimentos de ensino de toda a região. Além disso, a Herança Madeirense oferece, gratuitamente, saraus de música, exposições, visitas culturais temáticas, áudio guias, circuitos autónomos de História e outras iniciativas.

Colégio dos Jesuítas do Funchal, a Igreja de S. João Evangelista, os Paços do Concelho do Funchal, a Assembleia Legislativa da Madeira, o Mosteiro de Santa Clara, o centro histórico da cidade e, desde Novembro de 2017, a Quinta Vigia são os monumentos e as atracções que estão integradas no nosso programa.

Através dos circuitos culturais e históricos os nossos colaboradores ajudam o visitante a conhecer o rico património material e imaterial da nossa região, permitindo que o visitante explore como esses monumentos, e os seus ocupantes, ajudaram a moldar a nossa sociedade. A Associação Académica angaria os seus próprios fundos e depende do apoio dos seus visitantes, doadores, mecenas e voluntários. Através dos proveitos das visitas conseguimos financiar vários programas de apoio social cujos beneficiários são os estudantes da Universidade da Madeira.

Vencedor, em 2017, de dois prémios nacionais, o Prémio de Boas Práticas do Associativismo Jovem, atribuído pelo Instituto Português da Juventude e Desporto, e o Prémio de Voluntariado Universitário, promovido pelo Santander Totta, a Herança Madeirense segue apostando na capacitação dos seus colaboradores e na excelência dos seus serviços.